48 3413-5900

Classificação do café no Brasil | Ana Terra Café

Blog Ana Terra

PARA AMANTES DO CAFÉ

Classificação do café no Brasil

29/09/2015

E para quem entende do assunto, sabe que a classificação do café é uma das etapas mais importantes para que possa ser comercializado de maneira adequada e com padrão de qualidade.

É de extrema importância que o próprio produtor detenha o conhecimento desse processo, pois assim ele terá mais capacidade para avaliar o café.

No Brasil, a classificação do café se dá basicamente de duas maneiras: por defeito ou prova da xícara, que testa a qualidade. Ambos são os processos mais importantes nessa fase.

Classificação por defeito. Como funciona?

Esse tipo de classificação brasileira é realizado de acordo com a contagem dos grãos defeituosos. Existe uma tabela que serve como base para diferenciar os que são de maior ou menor grau de deformidade.

Mas o que significa um grão defeituoso? Bom, são considerados nessa categoria os quebrados, verdes, pretos, ardidos e brocados.

O processo que rege a classificação funciona da seguinte maneira: todos os grãos são espalhados em uma mesa sob uma cartolina preta. Uma excelente iluminação sob eles é o fator fundamental para que essa etapa seja realizada com sucesso. Em seguida, há a separação dos que são classificados dos que estão com defeitos.

O padrão para definir como parâmetro é o grão preto. É ele que serve de base e já é considerado um único defeito. Os demais são necessários fazer uma junção para formar e classificar como imperfeitos.

Prova da xícara

prova da xícara é a outra forma de fazer a classificação aqui no Brasil. Basicamente, a pessoa especialista em cafés, começa a experimentar cada tipo. Os objetivos consistem em definir a qualidade da bebida e classificar as ligas que fornecem o devido valor a alguns lotes dos grãos.

Na tabela de classificação, o café produzido no Brasil possui 7 tipos de características peculiares. Vejamos:

  • Adocicado;
  • Suave;
  • Gosto e cheiro de iodofórmio;
  • Aroma de bebida mole;
  • Sabor adstringente;

Esses são os aspectos que são levados em consideração para definir a tabela de classificação do café no Brasil. Todo esse processo é realizado com a prova da xícara, uma etapa indispensável.

Além disso, o fator cor também é analisado como um grande diferencial para a seleção dos grãos. Para efeito de tabela, eles são classificados da seguinte forma:

  • Tom amarelado;
  • Muito claro é considerado café velho;
  • Verde significa café novo. Em perfeito estado;
  • Barrento;
  • Chumbado;

Cada característica dessa é analisada e classificada em uma tabela oficial que registra e define os grãos de café.

Para ter as aparências que foram elencadas logo acima, diversos fatores farão parte do processo de definição de cores dos grãos. O barrento, por exemplo, significa que o café levou muita chuva – enquanto ainda estava no chão ou mesmo secou de maneira incorreta.

Todos os pontos são levados em consideração e servem como base para definir e classificar os tipos de café. Por isso que existe a tabela, para dar um norte a respeito do tipo e qualidade do café.

Essa é uma forma de obter a bebida – com mais qualidade e rigorosidade diante o processo de comercialização.

Todas as etapas de classificação são de extrema importância para manter e/ou redefinir o processo qualitativo de uma produção de café. Afinal, é a partir delas que são criados parâmetros que qualificam ou desqualificam os grãos.

Sendo assim, pode-se afirmar que a classificação de café no Brasil é uma das mais rigorosas, no sentido de controle de qualidade da bebida.

Não é a toa que você adora esse cafezinho aí! 

0 0 0
Loading...

Leia também

Drink café: O que é?
O que a ciência fala sobre o café?
Porque investir em cafés especiais?
O café emagrece? Verdade ou mito

Categorias

Café Gourmet Eventos Sobre o Café Ana Terra Café Café e Saúde